domingo, 27 de outubro de 2013

The Velvet Underground - I'll Be Your Mirror

The Velvet Underground - Heroin (Redux Live MCMXCIII)

the velvet undergound &nico - Femme Fatale

Lou Reed, Venus in Furs

Lou Reed - Sad Song - Live Amsterdam 070621 (+playlist)

Lou Reed & John Cale - Hello It's Me (+playlist)

Lou Reed - Pale Blue Eyes (+playlist)

Lou Reed & John Cale - Small Town (+playlist)

LOU REED " Rock Minuet " 2000

A fúria, a doçura e o veludo.


Estou em luto! Um dos grandes formadores do meu gosto musical morreu.
Faleceu hoje, domingo 27 de outubro de 2013, Lou Reed, grande responsável diretamente e indiretamente por grande parte da produção musical de qualidade dos últimos 40 anos.    
Incalculável é o legado deixado por Lou Reed, musico e compositor norte americano. Muitos atribuem a ele o surgimento do punk, do pós-punk, e mais uma infinidade de derivações e nomes que na verdade, não têm muita importância nesse momento.  O que importa agora na verdade é quantidade de músicas maravilhosas que Reed deixou de presente para nós.

Lou Reed dava ao Rock and Roll, uma das mais populares forma de arte, uma refinação espontânea, seja nas suas composições musicais sempre originais e inventivas sem pedantismos ou frescuras, onde passeava sua grande habilidade de guitarrista; como nas suas letras um lirismo único, sempre declamava seu olhar poético as voltas com os fracassados  com os esquecidos das ruas de grandes cidades .

mais Lou Reed no DME:

sábado, 19 de outubro de 2013

Vinicius de Moraes - 100 anos

A MEDIDA DO ABISMO
Rio de Janeiro , 1962

Não é o grito
A medida do abismo?
Por isso eu grito
Sempre que cismo
Sobre tua vida
Tão louca e errada...
- Que grito inútil!
- Que imenso nada!

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

domingo, 22 de setembro de 2013

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Slicing up eyeballs

Don't know about you But I am un chien Andalusia

terça-feira, 16 de abril de 2013

PAISAGEM MÁ - TRISTAN CORBIÈRE


Tradução: Augusto de Campos

Praias de ossos. A onda estertora
Seus dobres, som a som, na areia.
Palude pálido. O luar devora
Grandes vermes – é a sua ceia.

Torpor de peste: somente a febre
Coze… O duende danado dorme.
A erva que fede vomita a lebre,
Bruxa medrosa que se some.

A lavadeira branca junta os
Trapos surrados dos defuntos,
Ao sol dos lobos… E os sapos. Ei-los,

Anões de vozes melancólicas,
Que envenenam com suas cólicas,
Os cogumelos, seus escabelos.